AMAR É UMA DECISAO-POR-LIVIA KINDLMANN

Hoje eu e meu marido completamos 24 anos de caminhada.
Tudo começou naquele 24 de julho de 1996.

De uma forma meio doida, meio Eduardo e Mônica, sem planejar mas querendo muito.
Um romance que, segundo muitos, não duraria uma primavera, mas como toda história de amor, o que forma seu DNA não são os dias de paixão e glória mas sim a resistência e força que se cria nos dias ruins , nas decepções e frustrações. No seu crescimento diário.

E assim foi com a gente.

Olho para nos naquele inicio e não reconheço muita coisa. A vida deu mil voltas e nós chegamos em um lugar que não havíamos sonhado. Talvez porque, mais do que sonhar tenhamos vivido. Não sei se sonhamos qualquer coisa além de estarmos juntos.

E foi assim, e é assim que temos enfrentado tudo o que a vida nos proporcionou: JUNTOS.

Juntos fomos passo a passo seguindo na construção desse relacionamento que foi se concretizando com parceria, fomos conquistando nosso espaço, nos formando profissionalmente e chegamos aos casamento em 2005.
A força de um amor verdadeiro é provada no relacionamento diário, na convivência, na tolerância, na habilidade de ceder algumas vezes e isso não é fácil. Certamente as alegrias estão garantidas nos momentos a dois, quer seja assistindo um filme, preparando um jantar , no sexo ou mesmo a frente da telinha torcendo para times opostos ( isso precisa de muita tolerância ).
A verdade é que, com o passar do tempo aquela paixão se torna visita e o que fica é o amor real , sem maquiagem . O compromisso vai aumentando com a chegada de um filho, a compra de um apartamento, a chegada de outro filho, a mudança de um emprego, e vamos nos dividindo em partes, e, de quando e quando precisamos olhar para o solo que alicerçou toda essa construção. Nessa jornada precisamos do olhar do outro para reconhecer a nossa essência, para comemorar nossa evolução e agora sim , sonhar nosso sonho, de mãos dadas.
É assim que é, assim tem sido para nós. O esforço diário para preservar nossos momentos, respeitar a individualidade, estruturar nossa família e decidir a mar todos os dias para que seja esse o legado para os nossos filhos.


Nem sempre é possível, nem sempre nos sentimos capazes, há raios e trovoadas que invadem sem permissão nossa casa, mesmo que com as janelas fechadas, mas seguimos sabendo que damos conta, temos dado conta e então quando olho aquele casal inexperiente de 1996, reconheço a vontade de fazer dar certo. Porque é isso que temos feito nesses 24 anos.

Lívia Kindlmann

Espiritualidade,Paliativista,Autoconhecimento,Finitude,Palestrante

Instagram: https://www.instagram.com/livia_kindlmann_psico/

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.