Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

NEGRA RUBRA ROSA- POR ADELE PEREIRA

Chegou minha hora demoraste a
tomar-me
Já andei cuidadosa efêmera rubra
rosa
Negra pálida que atenta que palpita
que desdita
Como fêmea amiga voluptuosa
extinta

Pertenço ao mundo inebriante ao
dorso mutante
Cavalgo na carne com posses de
fantasias
De brancos flancos, de dentes caninos
te vejo
Inerte a espera espreita a hora nostálgica
demora

Seja eu pegajosa lambendo arrastando
arranhando
Ou calada subindo gemendo ferindo
felina
Um olhar turvo um cisco um nada um
tudo


Degusto teu gosto o que sei teu líquido
teu sal

Oh!! Amante com ares de rei, porque me
fiz rainha

Me tomas porque torpe ardilosa não me
esquivo
Poeta caminhas por onde traços determino
Premedito
Es engodo porque pensas o que fazes se
Antecedes

ADELE PEREIRA

 

Adele Pereira

Não tenho Idade numérica, tenho datas comemorativas de vivências .

Aposentada me direcionei ao prazer de escrever, anjos me descobriram.

Deram asas a minha imaginação e me vi blogueira , escritora,

colunista  e os poetas ,que me perdoem:poetisa.

Palavras dançam na minha mente ,e transporto para o papel, sonhos,ilusões e amor.

Apaixonada pela vida, em busca de ser feliz, sentir o amor.

É assim Adelia De Melo, está Adele Pereira.

Email: adeliapvmelo@hotmail.com

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.