A MENINA E OS FEIJÕES-POR-ADELE PEREIRA

A MENINA E OS FEIJÕES-POR-ADELE PEREIRA

 

Lá em uma terra distante, de chão vermelho ventos fortes, que formavam redemoinhos.

Levantando folhas, papel, revirando sombrinhas havia uma menina sonhadora.

Ela ficava entre admirar estarrecida, ou medonhamente feliz amedrontada.

Pois diziam que nos redemoinhos estava o saci Pererê , e escondia o homem do saco, como se todos não o tivessem, mas naquela

época ela não sabia .

Masss vamos aos feijões a mãe lhe incumbia entre outras funções de escolher feijão , tipo os maus os bons para cozinha-los .

E começava a escolha, ou melhor a batalha.

A grande mesa velha de madeira, transforma-se em planícies, intensos rios, aldeias indígenas grandes montanha de penhascos profundos. Fortes militares que se instalavam nos territórios indígenas.

Os feijões que tinham a bundinha achatada, ela os colocava em pé uns eram índios outros soldados.

Os gordinhos generais os magrinhos capitães, ou apaches, os pauzinhos viravam grandes fogueiras para sinalar perigo.

Dos ataques nas aldeias, quando era o pedido ajuda há outras tribos, para a batalha que advinha.

Assim o trabalho era prazeroso para a menina, nem via o tempo urgir, e se sobressaltava com o grito da mãe.

Esse feijão e para  hoje, sai ou não sai!!!!! Era um esparramo só, escolhido não escolhido, índio apache soldados caídos dos cavalos.

Já não sabia se era os inimigos crow , que faziam escalpos tanto de índios ou soldados pele vermelhas, ou os aliados chayennes e os sioux . Enfim todos juntos misturados , e ter que escolher novamente, dessa vez sem mente.

Entre riso e pressa, o medo de apanhar da mãe. Terminava rapinho ufa! Concentração, tristeza

Todos bons para a panela, os ruins no mato….

São vidas batalhadoras, os cavalos, lobos, os cocar machadinhas tudo acabado , E depois ainda come-los , a menina até hoje não

come feijão

Porem dali a três dias teria nova batalha, com os chayennes o gordo tenente coronel George….Na batalha Little Big Horn

(Pequeno Grande Chifre) e o capitão iria Receber a sua amada vinda na diligencia ….

A menina da terra vermelha ainda existe, logo conta mais uma história

ADELE PEREIRA

Apaixonada pela vida, em busca de ser feliz, sentir o amor.

É assim Adelia De Melo, está Adele Pereira.

Email: gastldimmelo@gmail.com

Instagram: https://www.instagram.com/pereira_adele/

 

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
%d blogueiros gostam disto: