Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

ESSAS GERAÇÕES…

ESSAS GERAÇÕES…
5 (100%) 25 votos

 

 

Andei matutando esses dias e cheguei a seguinte conclusão: se por um lado nossas gerações de algumas décadas do século passado, por um lado receberam uma educação mais voltada ao respeito, princípios e valores éticos, morais, filosóficos e espirituais, por outro, sofreram um empanzinamento de sistemas de crenças arcaicos e limitantes que hoje estão vindo por terra.

Mas, como nem tudo é perfeito, e, Graças ao bom Deus, tudo pode ser transformado, recebemos agora uma excelente notícia…

As mais recentes pesquisas científicas sobre neurogênese – que estuda sobre o processo pelo qual os neurônios ou células nervosas são gerados no cérebro – descobriu que após a maturidade e mesmo na velhice essas células continuam sendo produzidas.

Ou seja, Maura Boldrini, professora de neurobiologia da Universidade de Columbia em Nova Yorque (USA) e sua equipe, descobriram que esse processo (neurogênese) continua acontecendo mesmo quando a pessoa já está envelhecendo, resumindo: uma pessoa saudável continua a produzir novas células cerebrais mesmo na velhice e isso lhe permite a continuar aprendendo e transformando sua maneira de ser, de pensar e de agir, se assim desejar.

Estudos anteriores não utilizavam os mesmos procedimentos que Maura Boldrini e sua equipe utilizaram, o que tornava impossível chegar aos resultados que ela chegou. Isso resultou em um grande engano nas conclusões anteriores, onde se acreditava que após a maturidade o cérebro era incapaz de produzir novas células cerebrais (neurônios).

 

Neurônios

 

As antigas teorias focadas na dificuldade de aprendizado e memória em pessoas idosas agora não tem mais sentido.

Com essa nova descoberta, uma pessoa com estilo de vida saudável, com boas interações sociais, alimentação adequada e exercícios físicos pode manter sua capacidade de raciocínio, transformação e aprendizado e viver um envelhecimento saudável.

Na realidade descobriu-se também que uma das coisas que mais estava prejudicam o funcionamento cerebral é o estreitamento das artérias, porque com artérias estreitas diminui o fluxo de sangue com água e nutrientes para manter a saúde e o bom funcionamento do cérebro.

Sabe-se também que condições de estresse, tristeza, angústia, menos-valia, má alimentação, vida sedentária, entre outras, podem causar danos ao funcionamento cerebral, daí a importância de manter uma vida emocional saudável.

Na realidade a saúde física depende da saúde emocional e vice-versa, as duas são interdependentes.

Quando uma pessoa tem uma boa saúde emocional, ou seja, um bom nível de autoestima, autoconfiança e sente-se confortável e motivada para enfrentar as mais diversas situações da vida, sua saúde física é geralmente boa e caso ela adoeça, consegue curar-se com muito mais facilidade.

 

 

A associação entre mente sã e corpo são já é conhecida desde a Roma antiga.

 

 

medo, insegurança

 

Quando estamos tristes, angustiados, magoados, nossa respiração fica mais curta apesar de mais rápida, dessa forma, leva menos ar para os pulmões que vai ter mais dificuldade em processar e filtrar o ar e oxigenar o sangue, resultado, o sangue fica mais pesado, carregado de toxinas.

Se o sangue fica mais pesado e carregado de toxinas, vai carregar menos oxigênio e menos nutrientes para o cérebro.

O cérebro, por sua vez, vai ter mais dificuldade para funcionar, terá menos energia disponível, menos vitalidade, vai ficar mais confuso e não vai administrar bem suas ordens para que os demais órgãos funcionem adequadamente.

Por outro lado, se o sangue está mais carregado de dióxido de carbono, fica mais pesado e dá muito mais trabalho para o coração fazer o bombeamento, o que vai dificultar também a circulação.

Todo esse processo vai causar estresse, cansaço e dificuldades para todo o corpo e se não for solucionado a tempo vai causar doenças.

Você já percebeu que uma pessoa triste, angustiada, magoada, ressentida, fica depressiva, mais lenta sem energia, sem vontade de fazer as coisas? Pois é, essas emoções comprometem o funcionamento do corpo todo, como já foi dito acima.

 

 

Já quando a pessoa sente raiva, ódio, rancor, ou outra emoção violenta, o corpo todo entra num alto nível de estresse e o cérebro ordena a liberação de certos hormônios para que haja uma reação física de agressão ou proteção conforme a situação da pessoa. Essa situação também é muito prejudicial e se não for neutralizada a tempo pode causar graves consequências para a saúde.

Ao contrário, quando alguém está alegre, feliz, sentindo-se pleno e realizado, sua respiração é profunda e mais lenta o que possibilita levar mais ar aos pulmões que podem fazer seu trabalho sem estresse, ou seja, filtrar melhor o ar e jogar mais oxigênio no sangue.

O sangue mais oxigenado fica mais leve e circula melhor e mais rápido, além de carregar mais nutrientes. Esse processo permite a melhor oxigenação e nutrição do cérebro que, mais bem nutrido tenha mais energia e vitalidade. O resultado é que pode administrar melhor as suas funções e enviar os comandos corretos para os outros órgãos, que também desempenharão melhor as suas atividades.

Dessa forma, temos mais saúde, melhor qualidade de vida, mais energia, vitalidade e bem-estar.

Esses exemplos foram dados de forma bem simplificada para melhor entendimento, mas é um resumo de todo o processo corporal e mostra bem a importância de se nutrir uma vida emocional mais saudável.

É a partir da vida emocional que desenvolvemos as doenças ou preservamos a saúde! E é também a partir dela que curamos as doenças e transformamos a qualidade de nossas vidas.

Para isso precisamos ter um bom nível de autoconhecimento, saber como nutrir uma boa autoestima e como empoderar a autoconfiança.

Você já imaginou como seria se você tivesse uma elevada autoestima, embasada na sua autoconsciência e no verdadeiro autoconhecimento e de seus potenciais? Quanto isso ia te trazer de realizações, conquistas, bem-estar?

 

Quanto isso faria você se sentir muito mais segura e confiante e ainda quanto isso aumentaria suas chances de sucesso? O mais incrível e extraordinário é que é conhecimento estruturado com os exercícios mais indicados para o autoconhecimento, o autodesenvolvimento, a capacitação para ser quem você realmente é. O seu verdadeiro Eu.

  • Elevar a autoestima, a confiança em si mesma e a fé na vida.
  • Desenvolver o autoconhecimento e aprimorar suas capacidades interiores de resolução, superação e coragem.

  • Sentir-se mais feliz e realizada consigo mesma!

  • Alcançar novos resultados, muito mais importantes e significativos em todas as áreas da vida.

  • Conquistar metas e realizar sonhos até então inimagináveis.

  • Descobrir que com o conhecimento correto e o exercício perseverante todas as ações ficam mais fáceis de serem realizadas.

  • Economizar muito esforço, trabalho e até mesmo dinheiro tentando evitar situações improváveis mantidas só pelo medo.

  • Ser muito mais admirada e respeitada pelas novas conquistas e a transformação resultantes da superação dos medos.

  • Saber-se capaz de novas conquistas e que os limites da vida são autoimpostos.

  • Sentir-se pronta para novos desafios e superações que levarão a um aperfeiçoamento ainda maior da sua forma de ser.

  • Sentir-se parte do milagre da vida, surpreender-se com seus resultados e sentir-se capaz de se surpreender consigo mesma.

 

Se você quiser saber mais sobre isso,  clique no botão abaixo para conhecer o workshop online autoestima-autoconfiança com o vídeo explicativo.

 

 

 

 

 

Gostou deste texto? Curta, comente, compartilhe!!!

Receba meu carinhoso e fraterno abraço,

Lourdes Ganzeli

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.

×