O BRASIL ESTÁ ENVELHECENDO-LILIAN TAVARES

O Brasil chega à marca de 30,3 milhões de idosos (dados do IBGE/2017), com perspectiva de aumentos consideráveis desse número para as próximas décadas.

Apesar de existir uma Política Nacional do Idoso (desde 1994) e um Estatuto do Idoso (desde 2003), que garante a essa população alguns direitos, ainda há muito a ser pensado em prol dessa gente experiente que ganha status de idosa já a partir dos 60 anos.

E você, já faz parte dessa turma?

Se ainda não chegou, mas pretende chegar se sentindo bem, comece a observar os mais velhos para saber como poderá ou não fazer para conquistar essa façanha, uma vez que a expectativa de vida em nosso país só continua crescendo.

Diferente da questão: o que você vai ser quando crescer, essa novo período chega com outros dilemas, como me manterei saudável para continuar autônomo e independente? Como continuarei pagando minhas contas? Com quem irei morar? Quem cuidará de mim caso eu precise? O que farei se sentir solidão?

Mas, o que cada um pode fazer para que esse período da vida chegue sem se sentir um fardo? Para dar conta dessas e várias outras questões, as políticas públicas terão que priorizar essa população, principalmente no quesito investimento.

Pensar em qualidade de vida é eleger projetos que valorizem o cuidado com vários aspectos, como a saúde física, mental, financeira e social.

Ter como carro chefe atividades que privilegiem o bem-estar físico, contemplando suas capacidades, resultará em maior disposição e prazer em exercê-las, isso irá sem dúvida repercutir inclusive na sua saúde mental. Além disso, manter-se socialmente ativo, interessando-se pelo outro, fazendo novas amizades, buscando novos interesses e conhecimentos, fará com que sua capacidade cognitiva se mantenha estimulada e vigorosa.

Não desista de realizar seus sonhos, afinal basta alimentar desejos para que se desperte a motivação em realizá-los. Infelizmente vivemos em uma sociedade que valoriza em excesso a beleza da juventude, inferiorizando aqueles que não são mais um modelo dessa ditadura estética, ainda que possuam vários outros atributos dignos de admiração.

Continuar criando, se conhecer mais, manter o bom-humor, cuidar de seus afetos, se energizar para realizar aquilo que ainda almeja, são caminhos viáveis para se trilhar, afinal na maturidade permanecem as possibilidades de descobertas e o poder das escolhas.

O importante é se fazer feliz em qualquer idade, valorizando aquilo que é relevante para você! O que vale é estarmos vivos e interessados em nos mantermos bem!

Lilian

Lilian Tavares,  psicóloga e gerontóloga social, atuante na área de saúde mental.

Contatos: @lilianpsisaudemental e

www.escutatoriaterapeutica.com.br

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.