Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

QUIMERAS POR APARECIDA CAMILO

QUIMERAS POR APARECIDA CAMILO
5 (100%) 7 votos

 

 

Quimeras

 

Às vezes me pego sentindo uma incomparável calmaria, e logo penso, que a vida é apenas um sonho lindo e passageiro e que acordarei num segundo, com a tempestade batendo com muita força nas janelas de Minh ’alma. Que bom que me permito ser igualmente a ela, com certo alarde, tudo no sentido de esconder o silêncio que paira em meu ser.

A vida, por vezes se torna cruel, não permitindo o jogo duvidoso, do talvez ou quem sabe, ela até permite certo descanso para alguns, e para outros um turbilhão de acontecimentos, as vezes bons, as vezes ruins, mas todos, com certeza, nos levará a algum aprendizado.

Meus pensamentos deambulando aqui e ali, onde não vejo razão para tantas emoções, se a vida é um mistério, que buscamos compreender a razão de tantas coisas! Pergunto-me: “que razão tem viver?!” se tudo que fazemos raramente nos satisfaz! Nessa divagação penso que vivemos num hospício!

Onde precisamos ser sedados para não vermos que cada um não tem ideia, de que está ofendendo ou machucando um irmão seu que não tem noção dos acontecimentos que permeia ao derredor de nós?!

 

 

Não poderíamos mais dormir?! Com medo que nossos pensamentos sejam roubados por algo estranho e desconhecidos?! E o amor?! Quando será que ele chegará, será que ele avisará?! Pedirá licença para fazer morada em nosso coração?! Acomodando-se silenciosamente como quem diz: “aqui eu quero ficar, você deixará”?! Ou fugirá juntamente, com aquela paz tão almejada?!

Percebi que estou vivendo o agora somente, como se fosse o último momento de minha tão insignificante vida, talvez até seja mesmo! Cansei de esperar, esperar pela aquela boa amizade, por aquele antigo amor. Cansei de esperar pelas coisas que independem de mim, mas bem sei que, de quem eu preciso de verdade, estará sempre ao meu lado, me cuidando, me guardando e me cobrindo com seu amor infindo.

 

 

 

Talvez esta noite não amanheça, Talvez um dia eu vá a Paris, talvez eu continue amando com todo meu coração, sem esperar retribuição, de uma vez que o amor é involuntário, e se não fosse assim, eu não seria eu. Às vezes eu penso que não seria nada mal, se eu sentisse que todos nós pudéssemos ao menos uma única vez experimentar o real, o verdadeiro sentimento, livre de qualquer coisa que pudesse nos acorrentar, nos sentir verdadeiramente livres de nós mesmos.

Talvez eu consiga quem sabe, sair desse grande hospício, para tomar um banho de sol, talvez eu consiga me tornar um pouco de cada um que pela minha vida passou, pois cada um me deixou uma lição, talvez um dia eu sinta a sensação doce de ter sido eu mesma, ganhando ou perdendo, eu sempre me pertenci. Só não consigo lembrar de quando eu virei eu, quando dei por mim, eu estava nesse frisson de viver nessa parada, nessa vibe, na contramão de um amanhecer, com entardecer, até noite alta.

 

 

Aparecida Camilo , Advogada atuante e Pós-Graduada em Língua Portuguesa, durante seu tempo por aqui entre todos que denominamos humanos, sempre lidou com pessoas. Não seria diferente a escolha de sua profissão. Trabalhou pouco em sua vida, mas sempre gostou de estudar e estudou um pouco. Não saberia dizer em que idade se encontra, pois tem dia que vive a sapiência e o silêncio dos 100 anos, outro vive o glamour dos 20, outro a introspecção dos 40, e ainda tem aquele dia que ela vive somente a teimosia dos 5 anos de idade, em seu Registro de Nascimento consta que ela completou 54, com gratidão a este Universo tão vasto e bonito que nos faz sonhar e esperançar, que chamamos Deus e vive sempre com as possibilidades que a vida apresenta, o seu lema é: viver um dia por vez, aprendizado que obteve ao longo de sua vida e espera ainda viver na serenidade.

E-mail: aparecidacamilo@hotmail.com

https://www.facebook.com/aparecida.camilo.33

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.

×