Oops! It appears that you have disabled your Javascript. In order for you to see this page as it is meant to appear, we ask that you please re-enable your Javascript!

COMO LIDAR COM A TRISTEZA? POR LOURDES GANZELI

COMO LIDAR COM A TRISTEZA? POR LOURDES GANZELI
5 (100%) 13 votos

 

 

 

Como lidar com a tristeza?

 

Quem não tem um dia de tristeza, ao menos de vez em quando?

Às vezes por algo que nos aconteceu, por uma notícia que recebemos e até mesmo por nada….simplesmente amanhecemos um certo dia com a tristeza batendo no peito.

A tristeza faz parte da vida e como tudo na vida, ela também tem sua função, se não tiver outra, ao menos aquela de aprendermos a valorizar os bons momentos e a alegria de viver.

Se jamais sentirmos tristeza não conseguiremos valorizar a alegria.

Mas, importante ter em mente, que a tristeza deve ser recebida e aceita como uma visita que vem de passagem por um motivo que não pode e nem deve ser alimentado. Ela deve ser tratada com respeito e consideração, mas como hóspede e não como agregado.

Se tentarmos fugir dela, ela nos perseguirá, se a tentarmos evitar, ela se fortalecerá, pois nosso foco estará nela, e onde está nosso foco, aí está nosso pensamento e nossas emoções, ali está nossa energia.

Tudo o que é alimentado cresce, o que não alimentamos enfraquece, definha e morre.

Quando lutamos contra algo, na realidade o fortalecemos, pois jogamos nossa energia contra ele, o que vai, retorna fortalecido.

Já percebeu que, numa discussão quando uma das partes perde a cabeça e começa a gritar ou falar desaforos, imediatamente a outra procura se defender e geralmente o faz com mais gritos e outros tantos desaforos?

Pois é o círculo de energia que vai e volta fortalecido até que um dos dois desiste, se arrepende e pede desculpas ou simplesmente sai do ambiente para não piorar ainda mais a situação.

 

 

Isso vale para tudo, gentileza gera gentileza, tristeza gera tristeza, alegria gera alegria.

Sempre teremos mais do mesmo, pois se somos nós que emitimos a energia daquele tipo de emoção ou sentimento, essa energia viaja em frequência de ondas que quando se encontra com outra onda da mesma qualidade se fortalece e retorna potencializada ao ponto de partida.

Por isso atenção aos nossos pensamentos, emoções, ações e sentimentos é fundamental pois todos nós somos fontes geradoras, transformadoras e receptoras de energia.

Mas, se estivermos envolvidos por uma forte emoção ela nos domina e perdemos a capacidade de transformar essa energia, pelo menos não o conseguiremos fazer naquele momento.

Tudo é energia, pensamentos, emoções, sentimentos, são energias que viajam em ondas com frequências diferenciadas de acordo com a qualidade de cada um.

Portanto nós somos responsáveis por administrar nossos pensamentos, emoções e sentimentos.

Por isso aceitar a tristeza, mas direcionar os pensamentos para coisas boas que possam minimizar esse sentimento e dar lugar senão para uma alegria imediata, mas para a serenidade de saber que tudo passa e ela também passará.

 

 

Essa é uma boa maneira para lidar com a tristeza que quando chega sorrateira, se não for bem administrada pode nos causar grandes prejuízos emocionais e se não for tratada com a devida consideração pode nos levar à depressão.

O perigo maior é quando ela chega sorrateira, quietinha, sem fazer muito ruído, mal nos damos conta do que está acontecendo até que percebemos que ela já nos dominou, ficamos à mercê dessa energia que nos contagia e traz o desalento e a melancolia.

Por isso, acredito mesmo que o famoso “Orai e Vigiai” diz muito mais a respeito de nós mesmos, de nossos pensamentos, emoções e sentimentos do que a respeito do que possa vir por parte do outro.

Afinal, somos nós que devemos administrar nossos pensamentos e sentimentos. Nós é que outorgamos ou não o poder do outro nos ferir.

Quando nutrimos uma boa autoestima e autoconfiança, o que vem do outro não nos abala, por menos que possamos gostar, saberemos sempre como lidar com aquilo que vem de fora.

O que mais pode nos abalar é o vem de dentro e quanto mais de dentro, mais difícil de lidar, especialmente se vem de uma zona profunda e nebulosa como é o caso do inconsciente.

Ali moram nossas crenças mais limitantes, medos, conflitos e angústias escondidas.

Como elas foram absorvidas na mais tenra infância, quando ainda não tínhamos capacidade de discernimento, absorvemos por empatia ou por um pacto inconsciente de lealdade que fizemos com nossas mães e elas se tornaram verdades inquestionáveis, mesmo na vida adulta.

Como questionar algo que não temos consciência?

 

 

É um longo e demorado trabalho de autoconhecimento que muitas vezes precisará de ajuda terapêutica ou de muita introspecção e estudo.

Enquanto isso não acontece, a melhor maneira de lidar e superar mais rapidamente essa situação é aceitando a presença dessa emoção e dizer a si mesmo: “Calma, ela deve ter um bom motivo para estar aqui agora, mesmo que eu não saiba qual é, e da mesma forma que ela veio, ela irá embora.”

Eu costumo dizer a mim mesma: “Isso é só um dia um pouco mais difícil, faz parte da vida, mas já, já vai passar”.

Às vezes converso com a tristeza e digo: “Tudo bem você ter chegado até aqui, seja bem-vinda porque sei que você tem uma função a cumprir, mas não se demore. Dia a que veio e continue sua caminhada em busca de conscientizar mais alguém”.

É interessante que quando faço isso, sempre tenho algum insight ou intuição e me sinto mais leve e mais capaz de administrar e superar a tristeza, isso serve para todas as emoções.

Conscientizar, aceitar, intuir e se despedir dela para que possa seguir adiante, são ótimas ferramentas para lidar com a tristeza.

Se você gostou desse texto, curta, comente, compartilhe e se quiser saber mais sobre autoestima e autoconfiança, acesse >> O LINK AQUI <<

Receba meu profundo e fraterno abraço,

 

Lourdes Ganzeli

 

Superior em Artes Plásticas -Universidade Mackenzie

Pós graduação em Plantas Medicinais e Gestão de Qualidade Total e Produtividade Faculdade

Oswaldo Cruz e Universidade Ibirapuera. Pós graduação de Semiologia e História da Economia Mundial Contemporânea USP.

Estudiosa de terapias holísticas: Florais, Numerologia, Astrologia, Geobiologia, Fonosofia e Fonoterapia, Fisiognomonia Holística

e Leitura Corporal, Fitoterapia, Cromoterapia, Iridologia Orgânica e Comportamental, Reike, Radiestesia e Radiônica,

Magnified Healing, Cura Prânica e Feng Shui, entre outros.

Fez Consultoria para revistas : Guia de Saúde São Paulo, Casa & Família, Bons Fluidos e Revista Saúde.

Face: https://www.facebook.com/lourdes.ganzeli

Canal do youtube https://www.youtube.com/user/lourdesganzeli

Gostou do Artigo?? Deixe o seu comentário e compartilhe com os amigos.

×